quarta-feira, 23 de abril de 2008

entorpecido pelo cheiro da festa
o som aumentando.mãozinha pra cima e u-hul
em ritmo (ou sem)
frank sinatra ou ritchie. dalto e aquela que eu não sei o nome.
tanto faz.tanto tanto.
que tem cheiro.névoa de energia boa na epiderme da festa
tal qual corção.pulsando.vibrando
latejando e beliscando a pele, uma
campanha assumida ao sorriso e
aos encontros
cheios de entrelinhas e
uma ou outra linha perdida, no meio da ventania.

a segunda feira nunca foi tão xingada!
dá até dó
.
Tatá Oliveira

2 comentários:

debutante disse...

Exatamente esse, o cheiro do bailinho.
...passadas as horas de sono e a ressaca - aliviada por aquele engov -, a segunda-feira graças a Tiradentes era feriado.
terça-feira ela abre a bolsa e aqueles bilhetes... ah, o bailinho!

Tatá O. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.